-->

segunda-feira, 3 de julho de 2017

A PAZ DE ESPÍRITO É SIMPLESMENTE SER

Namastê, Consciências!

Vamos falar sobre Paz?

Muitos por aí reclamam que não possuem paz. Buscam-na em retiros, em igrejas, em templos, em sessões de yoga, em terapias holísticas e, percebem que essa paz que conseguem é temporária. Isso cria certa dependência, se vocês perceberem. "Ah, eu preciso novamente ir para aquele retiro, lá eu terei paz. O problema é que custa caro a vaga para participar do mesmo." Vejam que, é uma paz ilusória. É uma paz "comprada".

O conceito de Paz também deve ser mudado. Para a maioria, Paz é apenas um sentimento de calma e passividade. Para alguns, Paz é sinônimo de não ter guerras. Para alguns ainda, Paz pode ser apenas a plenitude de estar com tudo ao seu redor bem. Mas, queridos, percebam que, existe uma grande diferença entre essa paz mundana, baseada no externo, e a Paz de Espírito. A Paz, entendida como um sentimento apenas, você a adquire em meios externos. Mas, e a Paz que brota do Espírito? A Paz que vem da Alma? A Paz que é duradoura? Como consegui-la, afinal?

Vemos em nosso mundo uma imagem de estresse, nervosismo e ódio em nossa humanidade. Tudo isso se deve ao fato de que as pessoas buscam, incessantemente, a paz fora delas. E, quanto mais descobrem que não são capazes de adquiri-la, mais e mais as pessoas se tornam infelizes. O que vou lhe dizer agora, sobre a Paz de Espírito, que é a Paz duradoura, é quase que uma quebra de paradigmas: A Paz de Espírito é simplesmente Ser.

O que significa dizer que a Paz de Espírito é simplesmente Ser? É exatamente isso: Ser o que você é. Se você está no caminho espiritual e está buscando a paz interior, mas você somente a tem durante estados meditativos, então você não descobriu a Paz de Espírito. Se você medita, sente-se totalmente em paz mas, ao sair de casa para ir ao seu emprego, sente-se totalmente revoltado com a vida, com as pessoas e com o ambiente ao seu redor, então você não conheceu a Paz de Espírito.

A Paz duradoura, essa que vem do Espírito, é a Paz que você conhece quando você simplesmente deixa a mente existir. Veja, quanto mais você tenta controlar a mente, limitar a corrente de pensamentos, criar pensamentos positivos e burlar os sentimentos negativos, mais você perde a Paz, porque você está se esforçando para isso e, a Paz é algo que surge quando não há esforço algum. Quando você deixa a mente simplesmente pensar, o quanto ela quiser; quando você se desapega da mente, dos pensamentos e dos sentimentos e deixa ela simplesmente se expressar, do jeito que ela bem entender, então você se afasta da mente. Quando você se afasta da mente, você percebe que você não é sua mente, mas você é uma força que está além da mente. A mente não te possui, você é independente da mente. Nesse estado de consciência, de desapego mental, a Paz duradoura começa a brotar.

Isso acontece, pois, você já não busca mais controlar os pensamentos, nem tenta fazer algo com a mente, pois você sabe que a Paz não está na mente, mas está no seu Ser. A Paz é simplesmente o fato de não estar enredado nas teias da mente. Vou dar um exemplo de como essa Paz de Espírito atua:

Você sai para ir ao seu emprego. Você se depara na rua com um trânsito banal. Chega atrasado no trabalho, leva bronca do seu chefe. Seus colegas estão numa competitividade enorme tentando rebaixá-lo. Seu amigo de trabalho deixa para você fazer inúmeras coisas que eram atividades dele. Você começa a sentir-se extremamente estressado, com raiva, ao ponto de poder gritar ali dentro. Se você estiver apegado a mente, ou seja, apegado aos sentimentos que ali estão, você tomará dois caminhos: Ou você tentará controlar tudo isso, como quem reprime os sentimentos, colocando tudo "para dentro" e, mais tarde, isso resultará em doenças; ou você, por estar identificado com os sentimentos, entra em ebulição e coloca toda sua raiva pra fora, agredindo aos demais ao seu redor. Agora, se você não estiver apegado a mente, como alguém que se encontra além da mente, como alguém que se encontra em total contato com o Ser, você não vai dar atenção para esses sentimentos. Eles serão como um córrego que vem e passa; que flui e vai embora. Você apenas observa tudo ao seu redor sem apego, compreendendo que, o trânsito que você enfrentou foi apenas uma projeção de uma sociedade baseada na pressa e que foi também um meio de exercitar a paciência. Você compreende que a briga que teve com seu chefe foi apenas uma projeção de cobrança e de separação, baseadas no medo, vindo da parte dele. Você compreende, inclusive, que a competitividade dos seus colegas é uma projeção mental dos mesmos, que acreditam que devem ser melhores uns dos que os outros, baseados também no medo do ego. Já, você, que está totalmente desapegado da mente, apenas está ali, experienciando tudo o que a vida lhe traz. Você simplesmente está em paz, permitindo que situações estressantes ocorram; permitindo que os sentimentos mais conflitante surjam em você e depois vão embora; permitindo-se Ser. Sem apegos, sem cobranças.

E, perceba novamente que, nessa Paz de Espírito, que vem do desapego da mente, você está em contato com o seu coração. Então, fica muito mais fácil ouvir sua intuição e a voz da sua Alma quando você está desapegado da mente. A mente é sugestiva, conflitante. Quando você está na mente, torna-se difícil acessar sua intuição. Mas, quando você está no Ser, você consegue captar a voz intuitiva e então, nesse exemplo citado acima, você pode até "ouvir seu Ser" lhe dizer: "Hey, esse trabalho não é o trabalho certo para você. Mude de emprego logo!"

Por isso, amados, exercitem o desapego mental. Estejam em meditação a cada passo que derem nos seus dia a dias. Não limitem a Paz somente ao momento de meditação ou somente às sessões de yoga. Estejam em Paz sempre. Sejam a Paz. Cultivem o desapego dos pensamentos e sentimentos. Sejam apenas o Ser que vocês são. Construam suas felicidades baseadas em suas Almas!

Bênçãos de Luz!
Namastê!

TEXTO: CRISTIAN DAMBRÓS


2 comentários:

  1. EU QUERO A PAZ, EU VOS DOU A PAZ.....A PAZ ESTÁ EM MIM......GRATIDÃO.

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente fantástico! Gratidão pela partilha!

    ResponderExcluir